Marcos Billé


Marcos Billé

Marcos Billé deu seus primeiros passos no setor em meados dos anos 70 assinando sua primeira luz em 1979 no espetáculo "TIRADENTES BRASIL OPUS" do Grupo Violeta Silveira. Em paralelo se especializava em eletrotécnica e mecânica projetando e instalando diversos espaços cênicos pelo Sudeste do país. De lá pra cá, são centenas de espetáculos; dentre eles destaca -se “Malditas”, “Morte”, ‘A Procissão das Almas’ e “Entre Elas” - todas premiadas como melhor Iluminação. 

Sempre envolvido na produção técnica completa de serviços dos eventos, em 2010 parte para a formalização da já fundada Elétrica Cênica e usa sua experiência para melhorar os hábitos de trabalho. Nesse ponto, a E.C. passa a oferecer um nível sem precedentes de serviços a outros profissionais da indústria. Desde então, ele ainda atua em diversas áreas da gestão da empresa: supervisiona os elementos financeiros e de infraestrutura dos negócios, se preocupando também com o bem-estar da equipe, que representa a força motriz do sucesso de qualquer instituição - e especialmente da Elétrica Cênica.
Contribuindo para o constante crescimento da empresa,  coordena os ciclos de expansão das instalações e dos locais de produção.